sábado, 8 de dezembro de 2012

Vamos



E essa mania de por as coisas em ordem fecha o meu rosto e proteje o meu ser. O sentido das coisa é importante e procuro isso em cada expressão que o teu verbo me mostra. O curioso é que sempre acho alguma coisa, e sempre me sinto no dever de escrever um - ou esse - direito de resposta. A sua sinceridade com o teclado chega a ser assustadora de tão cativante que é, e isso me faz viajar para aquela época que eu tinha abrigo no teu seio e o mundo nos enxergava como uma unidade. E nessa do mundo nos ver como unidade chegamos a ficar tão dicotômicos quanto o dia e a noite.
Mas até a noite e o dia se esbarram nos corredores pelo céu. Quero deixar as coisas bem definidas e navegar pelos ventos de uma vez. Sei que joguei o jogo desde o começo e preciso me mover pois meu coração está rasgado, aberto e esperando para receber algo para chamar de bonito. Venha, bata na minha porta, e ao invés de dizer as palavras que para nós ficaram difíceis de dizer, diga só uma.
let's.

Saudade das viadagens mais diretas que eu escrevia, né? 
FALOU!!! O/

Nenhum comentário:

Postar um comentário